Voltar Publicada em 12/05/2021 | Brasília

Após recomendação da Anvisa, Semusa suspende vacinação de grávidas e puérperas


 

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) suspendeu temporariamente a vacinação com a AstraZeneca em gestantes e puérperas, após recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Inicialmente, a Anvisa havia sugerido apenas a interrupção da vacinação de gestantes. Mas, após reunião no Ministério da Saúde (MS), na noite de ontem (11), a agência recomendou também a suspensão da imunização em mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias.

As vacinas enviadas a Ji-Paraná para atender esse público era da AstraZeneca, desenvolvida pela universidade  britânica de Oxford e fabricada no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz).

“Estávamos preparados para iniciar a vacinação em gestantes e puérperas. Mas, devido à orientação da Anvisa, decidimos suspender temporariamente a imunização para estes dois públicos. Estamos aguardando para sabermos se vamos receber vacinas de outros laboratórios para vacinar as grávidas e puérperas”,  declarou Alinny Rezende

No fim de abril, o Ministério da Saúde incluiu o grupo de gestantes e puérperas na lista de prioridades para vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19). Nesta segunda-feira (10), a Anvisa sugeriu que o Plano Nacional de Imunização (PNI) seguisse a bula da vacina AstraZeneca, que contraindica a vacinação de gestantes sem a autorização prévia de um médico.

“Em atendimento a essa orientação da Anvisa, o PNI decide interromper temporariamente a vacinação tanto de gestantes quanto de puérperas com a vacina da AstraZeneca. É uma cautela até o fechamento do caso e verificar o cenário epidemiológico em relação à vacina”, afirmou a coordenadora do PNI, Francieli Francinato, durante coletiva à imprensa.

Fonte: Tudo Rondônia

Fotógrafo: Divulgação

Para entrar em nosso Grupo de Notícias do WhatsApp - Facebook - Telegram
CLIQUE UM DOS GRUPOS