Voltar Publicada em 23/08/2021 | Porto Velho

OPERAÇÃO CANAÃ – Em Rondônia, polícia prende empresários que vendiam fuzis e metralhadoras para invasores de terras


 

Para entrar em nosso Grupo de Notícias do Facebook
CLIQUE NO GRUPO

A Polícia Civil de Rondônia por meio da DRACO2 (2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado) deflagrou na manhã da segunda-feira (23), a 2ª fase da Operação Canaã, nomeada Paiol com o objetivo desarticular organização criminosa dedicada à invasão de terras privadas e públicas estaduais, em ação integrada com a Polícia Federal, 17ª Brigada de Infantaria de Selva e Sesdec.

Segundo os delegados Fred Matos, Roberto dos Santos e Rondinelly Moreira, a Organização Criminosa agia primeiro eram mapeados o local alvo da invasão e, usando armamento de alto calibre, invadiam a propriedade que era repartida e vendida aos camponeses e investidores mediante pagamento pecuniário, veículos e armas, sem contar que há promessa de legalização da posse após a tomada da terra.

Nesta segunda fase a investigação teve como alvos integrantes que comercializavam armas e munições como fuzis, escopetas, pistolas, carabinas e submetralhadoras para abastecer a Orcrim e, estas armas eram então disponibilizadas ao braço armado que as utilizavam tanto para invadir as propriedades quanto para, após a invasão, garantir a posse mediante violência e evitar a reintegração dos possuidores ou poder público.

O grupo tinha como alvo terras privadas na região de São Francisco do Guaporé, Machadinho d’Oeste, Porto Velho, bem como Áreas de Proteção Ambiental Estaduais.

Foram cumpridas 27 medidas cautelares sendo 14 mandados de prisão preventiva, 1 mandado de prisão domiciliar e 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de Porto Velho, Ji-Paraná, Seringueiras, São Miguel do Guaporé e Cacoal.

Fonte: Assessoria de Comunicação PC-RO / OportalRO.com

Fotógrafo: Divulgação

Para entrar em nosso Grupo de Notícias do WhatsApp - Facebook - Telegram
CLIQUE UM DOS GRUPOS